5 efeitos do Mar e da Montanha sobre o cérebro

5 efeitos do Mar e da Montanha sobre o cérebro

A natureza é saudável de qualquer ponto de vista. Quando o ser humano tem a oportunidade de apreciar extensões grandiosas, ocorrem mudanças na sua percepção, no seu estado emocional. Por isso, algumas pessoas ficam contemplando o mar ou as montanhas por muito tempo. O cérebro tem uma propriedade conhecida como plasticidade. Isto tem a ver com o fato de que tudo o que experimentamos produz uma mudança em sua arquitetura, seja em maior ou menor grau. Contemplar o mar ou as montanhas provocam uma poderosa mudança no nosso estado mental. Essas massas gigantescas de água e rocha cria grandes emoções e a percepção do movimento cadenciado da natureza pode ter uma ressonância muito poderosa no nosso sistema nervoso.

estudo realizado pelos psicólogos Ruth Ann Atchley e Dr. David L. Strayer, constatou que pessoas que foram desconectadas da tecnologia (TV, celular, computador, etc) por um período de quatro dias e ficaram expostos a natureza e ao Sol, foram capazes de aumentar sua capacidade de resolver problemas em 50%. Em outras palavras, aumentaram sua capacidade criativa. Este estudo é o primeiro estudo a documentar mudanças sistemáticas na função cognitiva de alto nível associada à imersão na natureza. O estudo também sugere que os ambientes naturais, do qual evoluímos, estão associados à exposição a estímulos que provocam uma espécie de fascínio suave e delicado. Ambos emocionalmente positivos.

Outra questão que foi notada é que a prática de atividades ao ar livre, como trekking e hiking, aumenta a capacidade de concentração, principalmente de jovens. A exposição à natureza também pode envolver o que tem sido chamado de redes de “modo padrão” do cérebro, que uma literatura emergente sugere que pode ser importante para o pico de saúde psicossocial. A rede de modo padrão é um conjunto de áreas do cérebro que estão ativas durante uma introspecção tranquila e que mostram desempenho eficiente em tarefas que exigem função de lobo frontal, como a tarefa de pensamento usada no estudo.

Nos vários estudos realizados, determinou-se também que as pessoas que praticam trekking têm um fluxo sanguíneo mais baixo na área do córtex pré-frontal subgenual, ou seja, a área relacionada a mau humor, sentimentos de tristeza e preocupações. Portanto, esta área do córtex cerebral é desativada quando se pratica a atividade de caminhada na montanha.

 

Benefícios para o cérebro

1. Aumentam a criatividade

É uma grande extensão de natureza, onde, no caso do mar, alguns elementos se destacam: as ondas, as aves marinhas e talvez algum barco. Cada elemento é totalmente identificável. Diante disso, o cérebro reage imaginando e criando. Esse ambiente tranquilo nos permite gastar uma boa parte dos nossos recursos para gerar ideias inovadoras, enquanto em lugares mais estimulantes teríamos que dividir a nossa atenção.

2. Facilitam a meditação

A experiência envolve quase todos os nossos sentidos. Em qualquer um dos ambientes o som é suave e ritmado. Ao mesmo tempo, as cores têm tons que acalmam a mente. O mar e a montanha também atinge o olfato. Todo esse conjunto aumenta as ondas alfa no cérebro. Estas ondas são características do sono, mas neste caso, elas aparecem durante a vigília porque fixamos a atenção em um foco fixo e pouco variável. Este é o mesmo estado cerebral conseguido através da meditação, e tem o poder de nos ajudar a eliminar os elementos tóxicos da mente.

3. Ajudam a relaxar

A cor, o movimento e a extensão têm um efeito de relaxamento sobre o cérebro e o sistema nervoso. Temos diante dos nossos olhos um espaço completamente aberto, que se funde com o infinito do céu e promove uma sensação de tranquilidade. Instintivamente, a calma gera confiança. Nosso cérebro o identifica como uma ausência de ameaças e, por isso, elimina as vozes de alerta. O resultado é o relaxamento do sistema nervoso.

4. Interrompem a ruminação dos pensamentos

A ruminação dos pensamentos corresponde a pensar de forma obsessiva em um mesmo assunto. Você tem em mente algo que não consegue esquecer, não consegue encontrar uma nova solução e sempre volta ao ponto de partida. São as mesmas perguntas, as mesmas respostas, as mesmas inquietações. O contato e a imersão na natureza nos ajuda a interromper esses ciclos prejudiciais de pensamentos que se assemelham a uma rua sem saída.

5. Têm um efeito relativamente hipnótico

A simples contemplação nos ajuda a entrar em um novo estado de espírito. Como dissemos anteriormente, ele estimula a produção de ondas alfa. Ao mesmo tempo, a partir do ponto de vista emocional, exerce uma grande atração sobre nós e isto nos leva a relativizar o tempo. Por isso, podemos ficar longos períodos olhando o oceano e uma serra de montanhas sem perceber o tempo passar.

 

As montanhas são definitivamente uma das maravilhas da natureza. Nos levam a experimentar um momento transcendental e, ao mesmo tempo, renovador. É equivalente a uma terapia pelos seus efeitos extraordinários sobre o cérebro. É, sem dúvida, um dos melhores lugares para irmos quando a inquietação nos invade, já que em suas águas e morros podemos nos livrar das preocupações.


Deixe um comentário

Os comentários devem ser aprovados antes de serem publicados