Levantamento de Peso Olímpico: quem se aventura?

Levantamento de Peso Olímpico: quem se aventura?

O famoso LPO exige muita técnica e é prática comum entre atletas de rendimento e nos box de CrossFit.

  

Você já ouviu falar no Levantamento de Peso Olímpico, chamado pelos praticantes de LPO? A modalidade é uma das favoritas dos atletas que querem melhorar o rendimento e, principalmente, entre os praticantes de crossfit.

Um pouco de história: o LPO é uma das práticas esportivas mais antigas da humanidade. Com milênios de existência, a disputa de levantamento de peso definia, na Antiguidade, os homens mais fortes da sociedade. Depois, tornou-se uma prática comum em circos até ser parte dos primeiros Jogos Olímpicos da Era Moderna.

Como é o LPO?

Vale ressaltar, antes de tudo, que a modalidade exige muita técnica. Ou seja, é algo para ser realizado com especialistas, justamente para evitar lesões e movimentos errados.

Basicamente, são dois movimentos: primeiro o snatch (arranque) e, depois, clean & jerk (arremesso). Dentro disso, existe um trabalho de técnica e força com variações destes exercícios.

Benefícios do LPO

“O Levantamento de Peso não é conhecido como uma modalidade “funcional”, que ajuda as pessoas no dia a dia. Mas o LPO vai ajudar a melhorar a coordenação motora, consciência corporal, força, flexibilidade aumento de massa muscular e transferência de força e velocidade para outras modalidades esportivas”, explica Jorge Ceja Razon, treinador de LPO e atleta da Dobro.

Segundo o treinador, não é muito usual alguém totalmente sedentário buscar a modalidade. Isso porque ela exige muito fisicamente, mesmo de quem já é atleta e está habituado com a prática esportiva.

A prática no dia a dia

Atualmente, para praticar o LPO, normalmente, as pessoas buscam os box de crossfit, onde a prática é bem comum. Ou seja, para quem quer começar na modalidade, tem que ficar atento: é preciso ter energia, foco e disciplina de sobra.

Jorge ressalta “a Dobro me ajuda nesses dias de correria como coach e atleta, que preciso de energia para treinar e dar aulas sem me sentir cansado!”.

E aí, bora treinar?


Deixe um comentário

Os comentários devem ser aprovados antes de serem publicados